Evolução das HeadLamps (lanternas de cabeça)

Nem me recordo mais quando comprei minha primeira lanterna de cabeça (headlamp), faz mais de 20 anos quando comprei uma Petzl Zoom… era uma lanterna com lâmpada halógena que consumia rapidamente as pilhas e não iluminava muita coisa… mesmo assim fiz o Mont Blanc com ela…

Logo em seguida comprei ainda na Europa uma boa Petzl Duo.. hah.. que lanterna boa… tinha um modo no qual podia-se selecionar uma lâmpada (também halógena) mais fraca ou então uma lâmpada de alta potência que iluminava bem longe… Fiz o Matterhorn e algumas outras escaladas usando esta headlamp.

O problema das lanternas com lâmpadas halógenas é um só : autonomia.

Elas rapidamente consomem as bateriais utilizadas.

A coisa de uns 12 ou 15 anos atrás, eu estava na caverna da “Alambari de baixo” no Petar quando vi uma lanterna super diferente, uma tal de Petzl Tikka feita com leds. Que coisa espetacular !!! Usava umas pilhas do tipo pailito (AAA), tinha uma grande autonomia, iluimina super bem e de forma difusa, e a autonomia dela ultrapassava as 50 horas de uso contínuo !!

Hah.. não aguentei… peguei minha Petzl Duo e fiz uma adaptação super “ninja” nela removendo a lâmpada de baixa potência e acrescentando um conjunto de leds.

www.marski.org/facavocemesmo/22-headlamp…

Alguns anos atrás acabei vendendo a Duo e comprei uma Black Diamond Icon , que tem um led de alta potência e 4 leds de baixa potência (além de regulagem na intensidade da luz).

E além disso, acabei encontrando no Cerro Tronador uma Petzl Tikka Plus

Eu diria que hoje o estado-da-arte em termos de lanterna de cabeça são as baseadas em tecnologia LED.

Vejo dois grandes tipos de headlamps no mercado, as que apresentam um compartimento externo, com pilhas AA, para irem na parte de trás da cabeça (ou do capacete), balanceado o peso, e as headlamps que possuem o compartimento de pilhas (normalmente palito ou AAA) junto da fonte de luz (LED) na frente da cabeça.

Os grandes players no mercado são sem dúvida alguma a Petzl, a Black Diamond e a Princeton Tec. Por favor, se você pensa em usar este tipo de lanterna em ambiente de alta montanha (entenda-se : frio ), fuja das marcas mais baratas. A última coisa que você vai querer é descobrir-se em uma ascensão e na madrugada, sua headlamp simplesmente não funcionar.

Exemplos de lanternas com compartimento traseiro de cada marca são :

e com compartimento de pilhas integrado são :

Estas são lanternas que utilizam pilhas AA, entretanto é possível encontrar lanternas que usam baterias de Lítio, que respondem muito melhor ao frio, como a excelente Princeton Tec Apex Pro (que gera 130 lumens) :

note que a Tikka Plus da Petzl possui 50 lumens, a Spot da Black Diamond possui 60 lumens de capacidade de iluminação, e Princeton Tec EOS possui 70 lumens…

claro que existem outros bons fabricantes (como a Mammut) mas aqui no Brasil, ou mesmo lá fora, estas são as empresas líderes.

Coincidentemente eu pensei em fazer este artigo em virtude de eu haver ganho uma Princeton Tec EOS, e vi um review comparativo na Rock&Ice #100 sobre o assunto :

e fica aqui então a dica desta excelente relação custoXbenefício para uma lanterna com led de 1W de potência e 70 lumens de capacidade de iluminação , a Princeton Tec EOS :

Não sei como são os novos modelos da BD ou da Petzl, mas a Princeton Tec está utilizando um recurso eletrônico que mantém praticamente inalterada a capacidade de iluminação independente da carga restante das baterias… uma coisa muito legal.

Essa lanterna ilumina muito mesmo, significativamente mais do que a Petzl Tikka.

A Princeton TEC EOS possui um controle que possibilita 4 níveis de intensidade luz, incluindo um “pisca-pisca”, além disso é a prova d’agua (1m submersa) e é que apresenta a maior potência de iluminação.

Ela fica muito bem posicionada tanto na cabeça, quanto nos capacetes :

e apresenta um tamanho compacto :

e como eu disse, é a prova d’agua até 1m de submersão (bom para o pessoal que faz espeleologia também), isso é garantido pelo anel de vedação no corpo das baterias :

Related Posts with Thumbnails

5 Comments

  1. Legal essa lembrança da evolução das headlamps. Hoje em dia só uso as com leds e elas realmente vieram pra revolucionar: durabilidade muito maior das baterias, tamanho menor, peso menor etc. Isso me faz lembrar também de uma Duo que tenho, na época foi uma fortuna, hoje não vale nada e só serve pra ocupar espaço na gaveta!
    Abs!

  2. Caro Davi, muito legal o seu blog e parabéns pela qualidade do conteúdo. Incluí o seu link no meu blog www.terra-australis-br.blogspot.com. Sobre seu post das lanternas, dei uma olhada no catálogo da Princeton Tec (www.princetontec.com.br/produtos2.php) para dar ver o que havia de novo em headlamps e constatei que a eficiência em lumens anunciada pelo fabricante não confere com os dados do blog. A Apex, por ex., aparece com potência de 60 lumens e não 130. Por acaso as suas informações seriam com todos os leds acesos ao mesmo tempo?? Grato desde já e um abraço, João Paulo Lucena – Porto Alegre

  3. Pingback: Petzl MyoXP – Arrumando o vício oculto (qualidade ruim do cabo e erro de projeto) « Blog do Davi Marski

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>